sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Be Happy and...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

E o Afonso é...

MEXIDO!!! Depois da mamã comer ou quando está nervosa, salta que nem um louco. Adoro! No outro dia fiquei com a barriga toda de lado, devia estar a esticar-se todo. Tão fofinho, o meu menino...

(e a mamã tão babada...)

Hoje estou...

... em estado de Gibóia! Que é como quem diz, estou sem vontade de nada. Vim trabalhar o dia todo, coisa que já não acontecia desde a semana passada, pois estou de baixa. Tive que vir porque tenho que deixar as coisas orientadas, mas já estou arrependida de não ter vindo só um bocadinho, fazia tudo e pirava-me. Agora tenho que aguentar... Tenho algum trabalho para fazer e nada de dores por agora, mas estou carente, solitária e com saudades do meu ninho. O marido está em casa e o meu coração está lá com ele. Estou numa fase muito sensível, a precisar de miminhos.

Em relação à baixa, as dores que tenho tido (costa e barriga, musculares) obrigaram-me a abrandar muito o ritmo frenético que tem sido a minha vida, levando-me a pedir baixa ao meu médico de família, por saber que é a única forma de não me sentir tão culpada por estar a descansar. Ainda não recuperei totalmente do cansaço, mas já estou mais "normal". Como o GO me tinha recomendado repouso moderado para garantir que a placenta subia (havia o risco de vir a ter placenta prévia) e como andava demasiado nervosa e stressada, pensei na saúde do meu bebé e na minha e travei. Não sei até quando vou estar assim a meio gás, mas só volto ao trabalho quando estiver a 100% (de grávida, que são uns 80% de não grávida...). Não quero correr riscos desnecessários.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

It's a BOY!!!

Ao contrário daquilo que o médico disse na última eco, que lhe parecia uma menina, hoje viu CLARAMENTE que é um menino! O nosso Afonso. Ficámos meio abananados, meio perdidos e um pouquinho desiludidos, confesso, não por querermos uma menina, mas por já nos termos habituado à ideia de o ser. Chamámos Matilde à minha barriga muitas vezes, quase tantas quanto as que pedimos desculpa se fosse o Afonso...
Já comprámos um fatinho, umas meinhas e uma camisolinha de menino, umas chupetas e os produtos de higiene com a bolsa azul. Já me apaixonei pelo rosa, agora tenho que me apaixonar pelo azul.
Ele está bem, grande, com uns 20cm, já dá muitos pontapés à mamã e ao papá e nós estamos apaixonados pelo nosso menino :D.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Be Happy and...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Quando olho para a minha barriguinha penso...

Explicação do post anterior

Para que me percebam e para que eu possa deitar cá para fora o que me tem irritado, tirado do sério, deixado de cara ao lado.

Como já aqui tinha dito, a minha cunhada, mulher do irmão do meu marido, está grávida. Está, mas por muita sorte, porque teve uma ameaça de aborto muito séria. Então foi assim...

Descobriram que ela estava grávida, pediram-nos opinião acerca do resultado dos testes de gravidez, porque não acreditavam, eu disse sempre que acreditasse, que estava mais um bebé a caminho.

Não acreditaram, foram ao médico. Ou melhor, à médica que ela já tinha, por obrigação por trabalharem no mesmo sítio e que está a aprender a mexer no ecografo novo que tem há menos de 6 meses... Como era de prever, a senhora não viu nada, primeiro porque tinha pouquíssimo tempo de gestação, segundo porque a senhora é uma naba com o ecografo. Eu avisei que não iam ver nada, não ligaram.

Depois pediram-me opinião acerca do que deviam fazer a seguir. Eu aconselhei a esperarem calmamente mais um bocadinho e alertei-os sempre que deveriam ser seguidos por um GO com mais experiência, para se sentiram 100% confiantes. O que é que eles fizeram? Foram a correr a uma nova consulta com a mesma médica. Resultado? Viram um saquinho muito, muito pequenino, sem possibilidade de confirmar se era uma gravidez com embrião.

No dia a seguir teve uma perda de sangue vermelho. Péssimo sinal numa fase tão precoce da gravidez. Foram ao hospital e a eco revelou que o saquinho era muito pequeno e que estava com os contornos muito irregulares. Grande probabilidade de aborto espontâneo. Pediram-me conselho. Eu aconselhei a irem a uma GO com experiência. Não foram.

Tentaram falar com a médica, colega do mesmo espaço de trabalho, que não lhe quis dar o contacto e que só falou com ela quando lhe deu jeito. Disse-lhe que só a queria ver daí a 2 semanas. WTF? E ela ficava 2 semanas sem saber se ainda tinha bebé ou se já o tinha perdido? Depois de outra perda de sangue e de muita insistência minha, por querer o melhor para eles e saber que o meu GO é muito bom e muito conceituado, lá decidiram ir a ele. Ficaram à espera que eu marcasse a consulta, sem sequer terem dito para eu marcar... Lá falei com o médico, expliquei-lhe a situação e ele prontificou-se a atende-la quando passasse uma semana da eco.

Quando o médico viu a eco do hospital achou que não havia hipotese, mas fez eco e... como que por milagre, estava lá um coraçãozinho a bater. Tem menos umas 2 semanas do que era suposto, mas está tudo a correr normalmente. Ficaram maravilhados com o GO e perceberam que perderam tempo e dinheiro com a outra médica. Eu avisei!

Pediram segredo acerca da gravidez até às 12 semanas. Eu não contei a ninguém, eles contaram a toda a gente... É óbvio que eles é que tinham que contar, mas eu nem contei à minha mãe, que veio a saber por fora. E eu e o meu marido a fazer figura de ursos a esconder o segredo deles.

Quando alguém lhes diz que o irmão vai ser pai, eles dizem logo que eles também, embora tenham apenas 7 semanas de gravidez e tenham tido uma ameaça de aborto. Mas não podem ficar atrás, afinal eles são mais velhos e casaram há mais tempo. O que é que as pessoas iriam pensar deles? Eu sei o que penso.

O meu marido está super desiludido e nem gosta de falar nisso. Estamos as duas grávidas, moramos perto e os pais dos bebés são irmãos, podiamos ser companehiras de barriga. Mas não, ela não quer companheiras, ela quer alguém a quem perguntar as coisas de que tem dúvidas para depois descartar os conselhos. Quer ser a Dona Grávida, que se está a cagar para a gravidez, que só sabe dizer que não tem sintomas (como se isso a transformasse na grávida perfeita), que ainda não ganhou 1 grama e que me atira à cara todas as vezes que falamos "Nunca pensei engravidar à primeira tentativa...".

Mando-a à MERDA ou CAGO nela????

Presentes de Natal

Este ano (de muita contenção) decidimos oferecer presentes às crianças e lembranças aos adultos. Como tal, pensámos na lembrança mais pessoal possível, que todos apreciassem e que tivesse um significado especial neste ano de bebés.
Comprámos umas molduras lindas e colocámos a foto do nosso bebé na última ecografia que fizemos no nosso médico (das do hospital não fiquei com foto). Colámos um bilhetinho "escrito pela Matilde", a puxar à emoção e tcharam... uma lembrança fofinha e especial.
A sogra chorou, o sogro achou muita graça, os cunhados leram o papel e pousaram a moldura... Se calhar ficaram com inveja de não terem tido a mesma ideia. Não me interpretem mal, mas com o que tem acontecido, é só isto que eu espero.
No sábado à noite saberemos a reacção da restante família, que se prevê boa, pois gostam muito destas coisinhas.

Oh oh oh!

Já ofereci 6 presentes e recebi... 0!

Mesmo tendo pedido para ninguém nos oferecer nada e transferir tudo para o bebecas, nada, niente, nepias! Fiquei tristinha, confesso. Não por mim, mas por ver que ninguém se lembrou da minha pequenina, ninguém perdeu um bocadinho a pensar no ser maravilhoso que vem a caminho e que os vai fazer a todos muito felizes. A desculpa foi sempre a mesma "não tive tempo, mas depois compro isto ou aquilo...".
Será que vão ter tempo para dar miminhos, beijinhos, colinho, atenção, estar presentes nas datas importantes e nos momentos marcantes? Espero que sim.
Os cunhados (que vão ser pais) nem ligaram ao presente, por mais pessoal que tenha sido. Só mostram que fizemos bem em não os ter escolhido para padrinhos, que esses estão felizes de o serem e pensam muito na nossa menina.

Enfim, continuo a gostar de oferecer.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Enxoval da Matilde


Está a dar os primeiros passos, mas já conta com este conjunto de passeio (está encomendado), oferta dos padrinhos, pela módica quantia de 249€! Fomos nós que escolhemos, era o mais giro que estava na Pré-Natal, funcional e muito completo. Não sou de grandes mariquices, nem de marcas caras, e este serve na perfeição, é vermelho (cor que não me agrada habitualmente), mas um vermelho vivo, meio alaranjado, com um creme, fica um amor.
A nossa menina já tem onde passear e onde dormir as sestas.
Pode ser que chegue antes do Natal.


Sintomas - quase 17 semanas

O mais "marcante" - Mamas do tamanho de melões! Qualquer dia caio para a frente, só vos digo...

- Barriguinha enorme, mas muito realista para o tempo (no início parecia maior que o tempo que tinha).
- Fome de leoa, era capaz de comer um boi ao jantar. Não estou a brincar! Como, como, como e passado 1 hora ou 2, no máximo, estou esfomeada.
- 4kg a mais desde o início da gravidez, 1kg por mês, nada mal, mas podia ser menos. Enfim, para a semana já vou ouvir o médico... Despida ainda não cheguei aos 60, mas como me peso vestida e calçada no médico, e como ando carregada de roupa, devo chegar a muito mais. Paciência, o que interessa é que o meu bebé cresça bem.
- Dores nas costas e nos músculos da barriga (abdominais inferiores) a toda a hora e sem intervalo. Sei que tenho que descansar mais, porque quando estou deitadinha fico melhor, mas falta o tempo. Não, não são contrações, que já me andei a informar bem como se sentem as marotas e, felizmente, são mesmo só dores e alguma cãimbras muito localizadas, dependendo da posição e por imposição da alteração da postura.
- Movimentos do bebé, diferentes dos que "senti" há umas semanas, localizados mais em baixo e mais parecidos com o movimento dos gases (como é normal). Sinto mais quando estou a descansar, mais encostada, principalmente quando encosto o doppler fetal à barriga. Muitas vezes ouço os movimentos (no doppler) que sinto, confirmando-os.

Ainda aqui estou!

Tenho andado desaparecida, mas não fugi. Vamos lá às actualizações.

O bebé está óptimo, cheio de vida e muito mexido, com uma barriguinha do tamanho da da mamã e lindo(a). Sei isto tudo por ouvir diariamento o coraçãozito acelerado, por sentir os movimentos (diferentes dos que tinha pensado sentir anteriormente, que foram ilusão) quando estou a descansar e por o ter visto duas vezes nas últimas duas semanas.
Porquê? Porque tive que ir ao hospital duas semanas seguidas com uma infecção urinária teimosa que nem uma porta. Na quarta-feira (há duas semanas) comecei com dor na bexiga ao urinar, liguei para o saúde24 e mandaram-me ao médico nas 12 horas seguintes. Lá fui, confirmou-se a infecção, mas o bebé estava óptimo (não parou um segundo, não deixando confirmar o sexo). Comecei a tomar antibiótico, sem penincilina, que sou alérgica, e beber muita águinha (como de costume). Passado uma semana tive que voltar (quarta-feira passada), porque voltei a ter dor, agora também a andar. Continuava com infecção, apesar do antibiótico. Tive que mudar, para um mais forte, com indicação para fazer urocultura esta semana. Vi o bebé, gordinho e lindo, mais calminho, mas sem deixar confirmar o sexo (a mádica também não estava lá para isso...). Mas apanhei um valente susto! A GO que me atendeu na urgência de obstetrícia achou que tinha a placenta muito baixa para 16 semanas e que as dores podiam ser disso, aconselhando repouso, nada de sexo e muita caminha. Fiquei em pânico! Fui logo falar com o meu santo médico, até porque tinha que ir lá para ele me preencher o formulário para o abono pré-natal. Segundo ele, Ginecologista, Obstetra e Ecografista muito conceituado (só para perceberem porque é que confio nele), a placenta ainda está baixa às 16 semanas, subindo depois, não podendo ser considerada baixa, muito menos prévia, tão cedo. E a placenta não provoca dores! Disse-me, no entanto, para descansar para ver se passavam as dores. Tenho consulta dia 28 e aí vai ver como anda a placenta. Disse logo que o pior que podia acontecer era ter que ficar de repouso e fazer cesariana.
Agora estou melhor, chegendo ao final do dia com muitas dores de costas e na barriga (musculares), por não estar sempre confortável. De resto tudo bem.

O marido tirou o gesso, como já tinha contado, e está a ganhar confiança no novo pé (é o que parece). Tem a pele toda a cair, ainda vermelha de 6 semanas escondida com gesso e desinfectante. Já tem o gémeo menos magro e já vai mexendo o pé.

Desculpem o discurso e a ausência. Não me esqueci deste cantinho nem dos que gosto de espreitar, apenas faltou o tempo.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Novidades!

O marido foi à consulta das 6 semanas de pós-operatório e saiu de lá sem gesso! A cicatriz está óptima e bem cicatrizada e, como não tem dores nem outras complicações, não precisa de gesso (ao contrário da previsão inicial de mais 5 semanas de gesso). Agora tem 4 semanas para começar a movimentar ligeiramente o pé, pousá-lo, mas não fazer força nenhuma nele. Depois vem a fisioterapia e a recuperação total. Talvez não vá nem a meio do processo, mas ganhou umas semaninhas na recuperação.
Tem uma perninha de menina, sem músculo nenhum, muito medo de se magoar, mas mais contente. E eu também!

Eu sabia que ele tinha "carne de cão"...

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O coração do nosso Amorzinho!

Chegou (finalmente) o Doppler Fetal que encomendei no e-bay. Já sabia que tinha chegado a Lisboa na sexta-feira e que iria ser entregue pelos CTT. Esperava-o hoje e não falhou! Assim que cheguei a casa pus-me de barriguinha ao léu e escutei. Não precisei procurar muito para ouvir o mais doce som, o do coração do nosso amorzinho... Parecia um exército, TUM TUM TUM TUM...
Dá para colocar dois headphones e ouvimos os dois ao mesmo tempo. É maravilhoso!

Aconselho a todas as mamãs e papás. Sentimos mais um bocadinho a presença do nosso bebé. O meu é este aqui em baixo.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O lado positivo

Como sabem, passei por 10 meses de desilusões até conseguir o meu tão desejado positivo, até ter o meu bebé a crescer aqui dentro de mim. Foram meses difíceis, de muito sofrimento, muitas lágrimas, muita confusão, muita atenção aos pormenores.
Hoje completo 15 semanas (IUPI!!!) e vejo as coisas de outra forma. Durante o tempo em que engravidar parecia mais longe que ganhar o Euromilhões, passei por uma experiência muito enriquecedora. Conheci-me como nunca, física e psicologicamente. Passei a tomar atenção a todos os sinais do meu corpo, a todos os sintomas, a todas as dores e desconfortos. Aprendi a ouvir o meu corpo. A dada altura percebi que conhecia mucos (diferentes ao longo do ciclo), dores da ovulação, alterações corporais, tinha um calendário na cabeça, que me ia segredando em que dia do ciclo estava, tinha o corpo a gritar-me que estava no período fértil. Comprei testes de ovulação e utilizei-os apenas para confirmar que estava certa. E estava. Comecei a medir a temperatura basal com um termómetro, mas percebi que não precisava dele para saber como estava a minha temperatura, sentia. Senti o meu bebé à 13 semanas e às 14, muito cedo para uma primeira gravidez, e atribuo isso ao conhecimento e atenção que tenho com o meu corpo.
Conheci, também, os meus limites, até onde consigo ir por um sonho, até onde aguento sem me partir (e parti-me várias vezes), quantas vezes me consigo recompor, como reajo com a dor, com a desilusão, com a incerteza. Nunca duvidei que conseguia, até porque tenho agora 26 anos, mas sofri por não saber quando seria o grande momento. Sofri por acreditar que era cada novo ciclo, por ter esperança. Se soubesse desde o início que iria demorar tanto tempo, estaria relaxada, à espera desse ciclo especial. Mas não, desesperei por ele. Dou tanto valor a esta gravidez e estou tão feliz por me estar e ser dada a benção da maternidade...

Nunca desitam. Uma mãe de coração tem que ser mãe de verdade, tem que entregar todo o amor a um filho. Eu fui e sou mãe de coração e estou pertinho de ser mãe de verdade. E estou feliz!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

E a minha árvore de Natal continua dentro da caixa. Até dia 24 temos tempo (not)!

Tanto trabalho...

Ontem o maridinho veio comigo para o escritório. Resultado: serviços mínimos!
Hoje tenho uma pilha de papelada para pôr em ordem, amanhã tenho outro tanto e mais uma reunião importantíssima. Depois, fim-de-semana prolongado, com direito a festa de Natal do afilhado, visita a uma priminha bebé, comprinhas para a minha Matilde, o máximo de descanso e boa companhia.
Sinto-me um burro com uma cenoura a abanar à frente dos olhos...


Fretes!

Foi isso que eu tive que fazer hoje, um grande frete! O meu cunhado precisava de boleia, pois estuda na mesma cidade em que eu trabalho e a mulher dele iria estar cá e levava-o para casa à tarde. Entrávamos à mesma hora e não me custava nada trazê-lo. Não custava.
Exigiu que viessemos mais cedo, pois duvidava que chegasse a horas às aulas se viessemos à minha hora habitual e não se pudia atrasar um segundo. Para além de ter que fazer um devio enorme, de ter que me levantar mais cedo e não dormir nada com a irritação que tinha e ter levado a noite toda ora a sonhar que tinha que me levantar, ora acordada a pensar que estava quase na hora, ainda tive que vir a alta velocidade e ir levá-lo à escolinha (de mochila à costas) antes de abrir a empresa... Cheguei eu atrasada para o menino chegar a horas! Quem é que não ficava por os cabelos? Eu fiquei. E só me mostrou que estava certa por achar que ele é demasiado egoísta para ser um bom padrinho.

Nota muito importante: ele tem 29 anos e vai ser pai!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Padrinhos da Matilde

Para mim, que sou uma madrinha orgulhosa, os padrinhos são os segundos pais. Nem mais, nem menos. Para isso, têm que conseguir olhar para o afilhado como para um filho. É claro que é diferente, claro que sim, mas esta é a única forma de encarar o papel tão importante que nos é confiado. A minha responsabilidade é para com o meu afilhado, a responsabilidade de criar um elo de ligação especial, diferente do dos pais, é certo, mas mais próximo desse que qualquer outro. Encaro o meu papel de madrinha com muita seriedade e fico muito feliz por saber que o meu afilhado tem uma ligação única com os padrinhos. O meu marido é o melhor padrinho do mundo e eu a melhor madrinha. O que eu quero para o meu bebé? Os melhores do mundo! Nada menos que isso.

Tomámos a decisão final e convidámos os padrinhos esta semana. São a minha irmã do meio e o marido dela, os pais do nosso afilhado.
A madrinha foi de caras. É a minha melhor amiga, tem uma relação óptima e de irmãos com o meu marido e sabe bem o que é ser mãe.
O padrinho foi um caso bicudo. O meu marido tem um irmão (que vai ser pai também) e por quem sentia obrigação de convidar, na minha opinião, pelas razões erradas. Ele não sabe o que é ser pai, não consegue (ainda) pensar nos outros antes de pensar em si e não percebe bem o que significa ser padrinho. O marido da minha irmã é pai, sabe sê-lo e sei que vai defender a afilhada como defende o filho.
Outra coisa que considerámos de maior importância foi o facto de serem um casal. Por experiência própria, é mais fácil ser-se padrinho ou madrinha juntos. É como os pais. Pode se ser bom pai sozinho, mas em casal é mais fácil.

Eles ficaram radiantes ao perceberem que o que nós lhes queríamos pedir, muito chato, que eles estavam à vontade para recusar (nós com cara de aflitos...), era para terem a honra de ser os padrinhos na nossa menina.


Os padrinhos

A Matilde(?) já tem!

Já vos conto como escolhemos e como convidámos.

Está aí alguém???

Por estes lados não há ninguém. Parece que estamos outra vez em Agosto, está tudo de férias. Serviços fechados e com gente a menos, estabelecimentos fechados, telefones por atender, problemas por resolver, dores de cabeça a crescer...
O feriado soube bem, claro, mas hoje está a ser impossível trabalhar. Para a semana vingo-me e faço eu ponte!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Baby Boom!

Mais uma grávida na família. A minha cunhada descobriu ontem que está de esperanças.

Irmã mais velha - 30 semanas
Happy - 14 semanas
Cunhada - 5 semanas (ainda não deve chegar a isso)

A minha irmã do meio também anda nos treinos e pode ser que aumente a lista. Não tenho mais mulheres em idade de procriação na família mais próxima, senão também engravidavam... : p

14 Semanas

Para comemorar as 14 semanas de gravidez, a melhor prenda do mundo: Senti o meu amorzinho!!!

Foi a segunda vez, diferente da primeira, mas tão emocionante. Da outra vez tinha sentido uma pressãozinha por baixo do umbigo, hoje senti mesmo o bebé mexer. A famosa borboleta já mexe dentro de mim . Durante uns minutos quase retive a respiração aos pontos de ficar roxa... Parece que está coladinha à pele, mesmo à superfície. Ao mesmo tempo que sentia, os intestinos remexiam, mas são sensações tão distintas que não tive qualquer dúvida.
A minha menina (?) deixou-me de lágrimas nos olhos de felicidade.

O papá está roidinho de inveja, diz que sou mesmo sortuda. E sou!

Barriga das 14 semanas


domingo, 27 de novembro de 2011

P.S. - Não estou obcecada em tentar descobrir o sexo do meu bebé, mas estou curiosa e hoje vi a imagem em baixo por acaso e achei interessante.
Não penso começar a comprar já coisinhas cor-de-rosa e vestidinhos (só comprei um porque era muito barato e foi pela graça), até porque vou esperar pelos saldos para fazer as compras.

Menina? Acho que sim!



Ao rever a eco pela enésima vez (tenho saudadinhas de ver o meu bebé...), reparei noutra imagem em que é possível ver o sexo. O médico tinha dito que tinha visto numa outra imagem, mas eu não percebi qual na altura. Logo quando vi pensei que se tratasse de uma piloca, mas, com uma pequena pesquisa na internet e nos livros, percebi que é mesmo menina.
Ora, dizem os entendidos que o tubérculo genital é muito semelhante em ambos os sexos nesta fase, com a diferença na posição. O tubérculo masculino faz um ângulo de, pelo menos, 30º com a coluna, enquanto que o feminino fica paralelo à mesma.




Mais paralelo impossível, certo? Por isso é que nos meninos se consegue ver de frente e nas meninas não.

Amo-te Matilde!

sábado, 26 de novembro de 2011

13 semanas e 3 dias


Vi, depois de tirar a foto, que tenho os "faróis acessos" com muita frequência... Tenho que comprar uns soutiens reforçados.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Menina?




Digam lá se não é menina?
Em nenhuma posição se vê mais nada (não há pilinha). O médico foi mudando a profundidade e não se via mais que este botãozinho. Ora, se por esta altura (13 semanas) já se consegue identificar o sexo, se, como já vi em ecos por esta internet fora, a pilinha já é bem visível, só pode ser uma menina certo?
Devo acrescentar que o médico disse que lhe parecia uma menina...

Reparem no estilo da "miúda", com uma perna cruzada e uma esticada...

LOVE IT!

Senti!!!

Não tenho dúvidas, ontem senti o meu bebé!
Eu sei que ainda é muito cedo, mas senti mesmo. Depois de jantar uma coisa que me apetecia mesmo, encostada de barriga para cima, comecei a sentir uma pressão por baixo do umbigo quando expirava e ficava com a barriga "encolhida". Foi uma sensação estranha, que nunca tinha sentido, e que senti por volta de um minuto seguido. Depois passou e já não senti mais. Não senti o bebé mexer nem nada disso, senti-o lá dentro. Não sei se se estava a esticar ou se foi por estar mais apertado por ter o estômago cheio, o que eu sei é que senti. Já falei coma minha irmã que tem um filho e ela diz que só sentiu por volta das 18 semanas mas que começou assim.
Fiquei radiante, entusiasmada e muito feliz. Cada vez me sinto mais grávida e este miminho que o meu amorzinho me deu soube tão bem...

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Preciso mesmo...

De ir de lua-de-mel! Sei que já tive a minha e que foi muito boa, longa e cheia de coisas para recordar para toda a vida, mas precisava de uma igualzinha, mas barrigudinha desta vez.
Ando cansada de tudo, de todos, desta vidinha diária.
Antes do meu marido se aleijar, tinhamos planeado ir passar um fim de semana grande a qualquer lado, sozinhos (os 3), sem stresses e sem preocupações. Só amor e muitos miminhos. Isso agora é impossível, o trabalho amontua-se, o marido não consegue andar mais que 50 metros sem estar estafado, tomar balho (ele) requer muito esforço e bancos e almofadas e sacos e toalhas estrategicamente colocadas e muita paciência, eu não tenho vontade de conduzir mais que aquilo que já conduzo por necessidade e tenho sono.

Só precisava de ganhar o Euromilhões esta semana. 

Hoje ia...

Tratar da documentação para o Abono pré-natal. Não sei se tenho direito, se será algum valor de jeito, mas vou tentar na mesma, já que é um direito e qualquer tostãozinho dá muito jeito quando se tem uma lista infindável de coisinhas para comprar por estes meses.
Ia! Felizmente, lembrei-me a tempo que era dia de greve geral e que o sector público adere em peso. Não critico, é um direito, mas que atrapalha a vida de muitos privados, lá isso atrapalha.

P.S. - Sei que é greve geral e não do sector público, mas todos sabemos que são sempre os mesmos a fazer greve. Se os tempos são maus (que são), não é uma greve que vai melhorar nada e ainda perdem o dinheiro de um dia de trabalho. Ou acham que o Estado só vai perceber pela greve que as pessoas se sentem inseguras com as condições laborais? Já não vivemos em 74... Não há P.I.D.E. e a comunicação social não fala de outra coisa.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Tenho as mãos tão frias, que se bater com elas numa coisa dura, estilhaçam...

(tenho o aquecedor colado às pernas)

Nomes

Ainda não falei aqui acerca dos nomes do bebé, caso seja mesmo menina ou seja um menino.
Eu e o meu marido, desde o início do namoro, long time ago, temos nomes escolhidos. Não é por modas, por copianço, é mesmo porque são nomes que adoramos e que queremos um dia chamar aos nossos filhos.
Pois bem, se for menina será a Matilde. Se for menino será o Afonso. Lindos, não? Não vejo a hora de começar a tratar a barriguita pelo nome. :D

I'm so overweening!

13 semanas!

Iupi! Estamos a entrar no 2º trimestre, a barriguinha já me faz sentir "a sexy mama" (principalmente com as calças novas que comprei), as cãimbras acalmaram com o magnésio (so far) e já ando de roupa justa, toda orgulhosa por mostrar o meu bebé.
Ontem comprei um vestinho para a minha menina... (Se for menino, ofereço o vestido) Não resisti, custou 4 euros e é de meia estação, óptimo para a altura em que vai nascer.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Como contei a novidade

Simples! Coloquei a mesma foto que aqui no facebook e toda a gente ficou a saber... Já recebi dezenas de comentários e outros tantos "likes", toda a gente me felicita (e ao papá) e me diz que é a melhor fase da vida. Estou toda vaidosa. Já me chamaram despachada, já me disseram que já não era sem tempo, eu acho que vem no tempo certo. Estou preparada para ser mamã (eu sei que ainda vou mudar de ideias), para amar o meu bebé e o paizinho dele para a vida toda. Ai, que família bonita!

Sintomas - 12 semanas

Agora que a gravidez já avançou mais umas semaninhas, que a barriga já não engana ninguém, tenho um novo grande sintoma: cãimbras. São pela barriga toda, tenho-as por espirrar (muito comum por esta altura), por rir, por falar mais alto, por tudo o que implique força nos abdominais. Já comprei o magnésio e espero que resulte. Novidade, também, são as dores de costas, localizadas na zona dos rins e que me deixam muito desconfortável em qualquer posição.
Continuo com algumas tonturas, fico enjoada com a comida, embora tenha uma fome de leão, as mamocas estão gigantescas e a barriguinha está a crescer a olhos vistos. Como nem tudo pode ser positivo, as pernas e o rabo também já ganharam algum volume extra. Não estou muito preocupada com o peso (o ginásio espera-me para o ano), mas não quero ficar tipo máquina de lavar... Em 3 meses engordei 3 kg, dentro do limite, mas kgs que ainda não fazem muita falta ao bebé.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Menina?

Para alguma surpresa dos papás, o médico diz achar tratar-se de uma menina. Ainda é cedo para ter certezas, mas ele diz que lhe parece. Eu acho que é um botãozinho branco no meio das perninhas que o leva a crer que será. Seja como for, ficaremos sempre felizes, mas já olhamos para os vestidinhos de outra forma. São tão lindos...

A consulta correu muito bem, durou cerca de 45 minutos, 16 de ecografia, gravada, umas 5 medição da translucência da nuca (em que o valor mais alto registado foi 1.6 mm, óptimo!), o bebé tem 7 cm, mexe-se muito, dá saltinhos maravilhosos, põe as mãozinhas na cara e parece que bate palminhas, cruza as perninhas de várias formas e já é lindo(a).
Saí de lá muito descansada, fui fazer as análises do rastreio ao hospital, mas o médico repetiu vezes sem conta "está tudo normal". Vou começar a tomar magnésio, pois tenho muitas cãimbras na barriga, mas "tudo normal"...
A próxima consulta/eco é só a 28 de Dezembro e tenho que me ir contentando com as fotos e o video desta eco.

Nova foto do nosso bebé

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Vejo uma luz...

Dirijo-me para lá?

12 Semanas

Já as atingimos! Ainda não respirei de alívio, isso é só depois da consulta de segunda-feira, mas sinto-me mais grávida. Sinto que não tenho vivido esta gravidez como pensava que iria ser, por todo o stress e dores de cabeça que têm sido constantes, mas estou determinada a guardar um tempinho do meu dia só para o meu amorzinho. Começa hoje o nosso momento diário. Sozinhos ou acompanhados pelo papá, vamos conversar, sonhar, fazer planos de futuro e amar muito. Quero ser feliz, mereço ser feliz e tenho obrigação de dar ao meu bebé a calma que me tem faltado. Por mais que sofra com tudo o que tem acontecido na minha vida, tenho dentro de mim a maior benção e vou pensar nela antes de tudo o resto.

Quando apetece desistir

Disse aqui que ia mudar de vida e vou. Mas para mudar não pudemos estalar os dedos e esperar que tudo fique diferente, temos que mudar cada coisinha e é uma luta muito difícil.
Ainda não temos prazos, nem decisões definitivas, mas eu vou mudar a minha vida, dentro ou fora da empresa.
Tenho uns, poucos, cartuxos para queimar que vão ser decisivos, que vão ditar o fim ou a continuação de um projecto. De qualquer forma, eu vou seguir outro rumo, diferente e mais pessoal. Este vai continuar a ser gerido por mim, mas em part-time, se continuar.

Mas hoje estou num dia muito importante e decisivo, um dia muito forte, que me deixa emocionalmente em baixo. Já chorei um bocado, mas ficaram muitas lágrimas presas pela força da vontade. Choro o resto quando cair no colo do meu "aleijadinho".

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Muda de vida se tu não viveres satisfeito

É mesmo isso que eu vou fazer! Estou farta de remar contra a maré, farta de lutar por um barco que não chegou a descolar mas que causou demasiados estragos no porto. Cada dia que passa aumentamos o prejuízo. Temos que saber parar, temos que saber mudar o rumo da nossa força. E é para muito breve. Foi um projecto que deixou mágoa e muito más memórias, mas deixa, também, muitos ensinamentos. Querer nem sempre é poder! Não vou baixar a cabeça nem os braços, não vou ficar a chorar pelo leite derramado, vou seguir a minha vida e entrar em novos projectos, nem que tenha que começar do zero. O meu bebé vai nascer com uma mãe feliz e tranquila profissionalmente, não com uma mãe com stress constante e muitas lágrimas diárias.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Galp, Galp...

Fui a um balcão da Galp pagar uma factura vencida de gás natural da empresa. Segui a morada que me deram pelo telefone e lá fui eu. Depois de mil e uma voltas até encontrar o local, dou de caras com uma loja toda vazia e tapada com plásticos brancos. Liguei para a Galp e eles voltaram-me a ligar, depois de eu já não estar lá, a dizer que a porta estava apenas encostada por causa do ar condicionado!?!?!? Não, não estava. Amanhã vou lá outra vez, pode ser que já tenham voltado a montar a loja e me atendam.

Afinal...

Hoje foi mesmo um dia de merda! Daqueles em que só temos vontade de dar estalos a alguém. E pergunto eu, porque é que te meteste nesta vida de dores de cabeça? Trabalhar para os outros é tão mais descansado. Não ganhas mais, muito pelo contrário, ganhas quando calha e abaixo de todos os portugueses, não estás mais descansada, não te sentes realizada e ainda fazes tudo menos aquilo para que estudaste 4 anos. Valeu a pena? Nada! Mas agora aguenta-te que não dá para sair.
Já fiz muitos kilometros de carro, dentro da cidade, e alguns a pé, dentro de estabelecimentos. Estou, simplesmente, de rastos, cansadinha mesmo. O pior, ter clientes estupidos, mal educados e mal pagadores. Hoje até tive um a querer dar-me baile ao dizer, a olhar para o jornal, "eu logo vou lá falar com a sua patroa...". Ao que eu respondi que era a patroa e o raio do homem perguntou-me se era filha ou mulher do patrão... Não, sou patroa, paga-me a mim e não precisa de ir lá que eu venho cá. Errrr... É preciso uma paciência de santo e uns nervos de aço.
O mais "engraçado" é que cheguei ao escritório e ia para riscar as coisas que já tinha feito da lista diária e... não fiz nenhuma! Que dia tão produtivo. 
Vou enterrar a cabeça nos papeis para ver se ainda risco alguma coisinha. 

E hoje...

Tenho mais um dia bem cheio, com muita papelada para organizar, encomendas para fazer, encomendas para entregar e uma reunião ou dua pelo meio. Está cinzento, frio e chuvoso, mas nem vou dar por ele (espero eu).
Amanhã começará cedo, mas terminará cedo também, que tenho que levar o marido a cumprir responsabilidades.
O fim-de-semana é muito desejado, com muito trabalho doméstico para fazer (em atraso), cabelo do marido para cortar (sou uma artista com a tesoura...), miminhos para dar e receber e muitas horas para dormir.
Quem me dera que estes dois dias passassem à velocidade a que escrevi isto...

Ontem foi assim...

Ontem fiquei de molho e dormi por 3 dias. Levantei-me às 11 e tal, com o marido deitado ao meu lado, acordadíssimo e a roncar de fome, mas a não querer acordar-me. Levantei-me, espirrei umas mil vezes e assoei-me até parecer que o nariz ia cair. Depois de almoço dormi mais umas horinhas no sofá. À noite, ao contrário do que seria de esperar, estava caída de sono. A contipação/sinusite vingaram-se da minha insistência em querer desprezá-las.
Ainda tive tempo para fazer comida, servir comida, lavar loiça, arrumá-la, lavar e secar roupa, dar banho ao marido, ajudá-lo a fazer a barba (colocar-lhe o material todo à frente com ele sentado no sofá, que o moço não consegue estar de pé), chorei, discuti, ri, namorei e percebi que tenho que dar a volta a esta situação sozinha. Vou ter sempre o apoio do marido, mas é mesmo só o apoio, que ele não consegue fazer nada. Não tenho mais ninguém que me ajude e quem tenho está longe.
Tenho dias em que me sinto mesmo frágil, sem capacidade de ser a super-mulher que me exigem. Todos me dizem "és forte", como quem diz "não contes comigo"... Mesmo as pessoas que eu tinha como as minhas protectoras. É assim, nos maus momentos é que se vêm os "amigos". E eu não os tenho...

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Prendas de Natal

Ontem tive uma ideia brilhante. O Natal aproxima-se e as prendas por obrigação e sem significado também. Este ano vou pedir à família o que quero. Não, não fiquei maluca a pensar que posso escolher o que os outros compram para mim, mas também não vou pedir nada para mim. Vou fazer uma listinha de coisinhas que preciso para o bebé e passá-la à família, tipo lista de casamento. O que escolherem é riscado e passa ao próximo. Assim ninguém falha no presente e são menos uns euritos que gastamos. O marido também alinhou, por isso, este ano não vão haver pantufas, mantinhas, livros, vauchers, nem nada que custa dinheiro e que não tem muita utilidade. Com o dinheiro de umas pantufas podem comprar um conjunto de bodys ou um pacote de fraldas, quem sabe uma banheira, biberons, esterilizador, chuchas, toalhitas, cremes de bebé, mantinhas...
Às vezes tenho ideias mesmo boas. Agora só espero que a malta alinhe...
Nariz a pingar, algumas tonturas e uma pilha de facturas para separar... Combinação mais que perfeita.
Ai, que não vejo a hora de chegar a casa.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

22 mil euros por um dente de Jonh Lenon? Sem comentários.

As dificuldades

Estou grávida, em início de tempo, tenho o marido imobilizado e sem puder fazer nada, tenho uma fábrica para gerir e ninguém que me ajude. Todos olham para o lado e disfarçam quando me vêem aflita. Todos me perguntam se preciso de alguma coisa, mas ninguém faz nada quando vêem que não consigo fazer tudo sozinha. Tenho todo o apoio do mundo nas palavras dos outros, mas nenhum nas suas acções. Tenho a lida da casa para fazer, tenho que fazer as coisas mais básicas ao marido, como ajudá-lo a tomar banho e a vestir-se, a dar-lhe a comida e a pô-lo confortável. Tenho que fazer coisas que nunca fiz, como despejar lixo, tarefa sempre do marido. Tenho que ir às compras sozinha, carregá-las para casa, levantar pesos, de garrafões de água a cadeiras e bancos para sentar as visitas (que têm sido muitas), tenho que fazer 50 km para vir trabalhar.
Levanto-me às 7 horas, deixo tudo a postos para o marido comer, saio do trabalho às 17 e chego a casa quase às 18. Chego a casa e faço comida, lavo roupa, passo a ferro, não paro até ir para a cama, deito-me cheia de dores de costas e de barriga, dormo mal porque tive que mudar de lado da cama e não me sinto confortável, levanto-me durante a noite para ir à casa de banho, levanto-me outra vez à 7. Passo o dia de coração nas mãos porque já vi o marido escorregar outras vezes com as muletas e ter que segurá-lo, sei que ele não tem força na perna esquerda e que não pode, de maneira nenhuma, pousar a direita. Sei que ele precisa de mim para tudo e que passa o dia mal por eu não estar com ele. Sei que eu preciso de descansar, que tenho o meu bebé a crescer e que precisa de conforto, calma e tranquilidade. Mas tenho uma empresa para gerir, pessoas para gerir, contas para pagar, clientes para visitar, telefonemas para fazer e ninguém para ajudar.
Era o marido que ajudava, agora estou sozinha e esgotada.

É Natal!

Hoje entrei no Continente e até fiquei confusa. Lá dentro é Natal. Brinquedos por todo o lado, decorações e um ambiente quase natalício. Não tivesse eu vestido o casaco apenas hoje e já me sentiria em Dezembro. Ainda nem pensei nos presentes deste ano e o Verão acabou mesmo agora. Mas hoje tenho tanto frio que já acredito em tudo...
O Inverno chegou mesmo! O carro chegou aos 4ºC no caminho para o trabalho. Eu ando de casaco quentinho, pela primeira vez nesta estação, mas tenho as mãos geladas. Só tenho vontade de ligar o aquecedor, mas depois não consigo levantar-me daqui e hoje tenho muuuuiiito para fazer, muitas das coisas fora do escritório.

Ah, ando com uma camisola justa por baixo do casaco, que mostra bem a barriguita. Se tiver calor e o despir já não engano ninguém.

Para a minha Irmã

Tenho duas. São mais velhas que eu e a nossa relaçao mudou muito ao longo dos anos. Quando era pequenina era louca pela minha irmã mais velha, por quem tinha muita admiração e respeito, respeitava-a mais que aos meus pais, o que me levava a ter sempre receio de fazer asneiras. A minha irmã do meio era uma chata, com idade mais próxima da minha e feitio distante. Fui crescendo e fui conhecendo as minhas irmãs, aprendendo com elas, ouvindo raspanetes e críticas sem piedade, fui-me tornando no que hoje sou, muitas vezes (ou sempre) com a ajuda delas. Hoje já não admiro a minha irmã mais velha, respeito-a. Temos feitios e personalidades opostas, com muitas divergências e desentendimentos, estamos mais afastadas mas não deixamos de gostar muito uma da outra. A minha irmã do meio é o meu espelho. Somos muito parecidas, muito sensíveis e transparentes, somos as melhores amigas, tenho nela a pessoa que me compreende mais, por termos crescido juntas e por nos mantermos juntas sempre.
Sou uma pessoa de irmãs. Não posso viver sem elas, fazem-me falta, fazem-me bem, fazem-me perceber qual é o meu lugar, o meu potencial e os meus limites. Faria quase tudo por elas.

Por saber o que é ter alguém tão parecido connosco e tão próximo, chorei muito quando vi o filme "Para a minha irmã" no cinema, a minha irmã ofereceu-me o livro, e eu voltei a chorar. Acabei de o reler ontem e chorei mais uma vez. Porque é triste, porque nos toca cá dentro, porque fala de amor, o amor de irmãos, um amor diferente de todos e que só quem tem sabe de que se trata. Porque é uma surpresa, mesmo para quem já o conhece.


sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Acho que não falta muito para eu mandar alguém dar uma volta ao bilhar grande. Está mesmo pertinho. Nunca estive numa situação tão complicada na minha vida e toda a gente parece querer dificultar ainda mais.

Primeiras compras para o bebé

Hoje vou comprar o nebulizador, máquina de vapores, como lhe quiserem chamar. Sofro de sinusite e hoje estou mesmo à rasca. Só posso tomar meio Atarax e não me faz efeito nenhum. Sempre disse que seria a primeira compra para o bebé, por me fazer muita falta a mim e por ir fazer falta para ele. Já tenho dois em vista e de hoje não passa.



Barriga das 10 semanas


Eu avisei que ela tinha crescido logo... Já não tenho cintura (era o meu ponto forte) e este é o tamanho à noite. É dura e está peludinha :/, o umbigo já mudou muito e sinto-me cada vez mais grávida. 

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Já está em casa

Hoje fui à visita e trouxe logo o marido atrás. Já está instalado, agora começam as visitas. E eu que detesto visitas... Está bem, com muitas indicações e alguma medicação para fazer e uma previsão de 12 semanas de gesso, mudado entretanto. Vai ser uma recuperação demorada, mas eu estou aqui para o ajudar em tudo.

Já tenho o coração mais aconchegado...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Novidades!

O maridinho já foi operado, correu muito bem e já tem uma bota de gesso toda gira. Espero trazê-lo para casa amanhã para cuidar dele o tempo todo. Ai, que me faz tanta falta...

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Mais um dia

Ainda não foi hoje que o marido foi operado, deverá ser amanhã. Passei o dia com ele no Hospital, a dar-lhe muitos mimos e beijinhos e a aconchegá-lo. Cheguei a casa de rastos, cansada, sem vontade de nada e em baixo. A minha metade está a 50 Km de mim e faz-me tanta falta, ainda mais agora que tenho o nosso tesourinho aqui dentro. Vão ser tempos muito difíceis. Já estão a ser...

domingo, 30 de outubro de 2011

Sozinha

Cheguei a casa há pouco e vim sozinha. Deixei o meu marido no Hospital, preparado para ser operado. No jogo de futebol fez uma ruptura total do tendão d'Aquiles. Sim, esse tendão fortíssimo que liga o pé ao gémeo. O mais "engraçado" é que se lesionou sozinho. Rodou e rasgou... e eu filmei. Estive a tarde toda no Hospital e deixei-o lá.
A nossa casa está tão vazia. Silenciosa. E a cama é tão grande...
Espera-o uma cirurgia, em princípio amanhã, e uma recuperação de muuuuiiito meses. Já foi operado vezes sem conta, a última vez foi há um ano e meio, também lesão desportiva. Agora acho que arrumou mesmo as botas.
Pior vai ser cuidar dela sem puder fazer esforços, com a barriga a crescer, uma perna engessada e muitas dores e gritos à mistura. O habitual...

Mas já tenho tantas saudadinhas dele. Amo-te marido e vou estar aqui para te ajudar. E o nosso filhote também...

sábado, 29 de outubro de 2011

Casa dos Segredos

Não vejo a hora do Marco dar um soco em algum e ser expulso. Deve estar para muito breve. Não há pachorra para tanto drama e tanta discussão... A Fanny pode ir atrás. Irra, que é mesmo melga!

Ah, e já viram a "nova" Cleide? Afinal, parece que a menina não é assim tão santinha. Bem diziam as revistas...

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Eu!

Quem é que faz uma mousse de chocolate instantânea e fica líquida?

Cremes na gravidez

Assim que soube que estava grávida comecei a preocupar-me com a pele e a trabalhar para evitar as tão indesejadas estrias. Seguindo o conselho da minha irmã do meio e de uma amiga, mamãs que não tiveram estrias nenhumas com a gravidez, comecei a utilizar dois produtos. O Óleo de Amêndoas Doces (normal, de supermercado) a seguir ao banho, com a pele molhada e o Creme Gordo Barral (o tradicional, sem óleo de amêndoas doces) a seguir, antes de vestir o pijama. Como tomo sempre banho à noite, não há o problema do creme ficar todo na roupa.
É um ritual que, por vezes, se torna aborrecido e dá vontade de escapar um dia ou outro. Por esta preguiça, aproveitei para fazer dois testes, utilizando os produtos em separado, pois sei que muita gente utiliza apenas um dos dois.
Num dia apliquei o Óleo com a pele molhada, sequei-me e vesti-me. Na manhã seguinte a pele estava ainda gordurosa na maioria dos sítios, com bom aspecto, mas apenas à superfície.

Ontem apliquei apenas o Creme Gordo, antes de me vestir. Esta manhã noto a pele hidratada mas muito mais seca que o normal.

A conclusão que eu tiro é que a combinação dos dois produtos faz o efeito mais duradouro e eficiente, mantendo a pele hidratada e elástica todo o dia e no corpo todo. Quando a barriguita fica mais seca (por mudar de roupa ou roçar muito nela), volto a aplicar creme.

Espero puder dar o meu testemunho daqui a uns meses, de alguém que ficou sem estrias nenhumas... Até lá, estes são os meus aliados, com a companhia de muita água.

Because it's Friday...I'm sick!

O tempo mudou e a sinusite voltou!
Hoje estou assim para o de rastos, sem força no corpo, com uma dor de cabeça e nariz horríveis, sem capacidade para fazer nada. Como estou em estado de graça e não posso facilitar, como está um frio do catano e até trouxe trabalho para fazer em casa, hoje não vou sair do conforto do meu çar. Tenho uma apresentação para fazer, sem hora marcada, uns telefonemas, que podem ser feitos em qualquer lugar e muito para descansar.
Está a ser difícil adaptar-me ao tempo de Inverno (que o Outono nem espreitou). Hoje já vou comprar o medicamento que o médico me autorizou a tomar para a sinusite, mas vou aguentar ao máximo sem o meter no bucho.
Vou-me ali assoar e já volto...

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ainda só são duas da tarde e já não consigo estar de maneira nenhuma. Doem-me as costas, sinto a barriguita pesada e apertada (embora tenha umas calças de grávida e uma camisa larga vestidas). Vou tentar ocupar a cabeça com o máximo de trabalho para ver se o tempo passa mais depressa.

Dia de Outono#2

Está um dia tão bom para estar em casa. Pela janela (do escritório) só vejo folhas a voar, o céu muito cinzento e ouço o vento a puxar a chuva. Não deve demorar nada que esteja a chover. Hoje queria que fosse Sábado, que estivesse em casa, embrulhadinha numa mantinha e no meu maridinho. Víamos filmes, comíamos coisinhas boas e namorávamos sem pressas. Ai! Que bom que era...
Mas é Quarta-feira, eu estou a trabalhar e ele também, aqui está fresco, estou sentada numa cadeira muito confortável, mas muito pior que o meu sofá. É a vida... Aguenta-te!

Gostaste, amorzinho?

Já marchou outro chocolate! Desta feita um Twix. Huuummmm....

Dia de Outono

O dia está cinzento, o escritório está quase às escuras e eu tenho as mãos geladas. Já chove. Tenho sono. Tenho muito trabalho para fazer, mas não tenho vontade de pegar em nada. Ainda por cima tenho fome, mesmo depois de ter comido uma fatia de bolo de iogurte caseiro há uns 30 minutos. E hoje tenho que ficar aqui até à 17 horas, mesmo que o trabalho possa ser feito em casa. O meu marido hoje está longe e nem sei se vem dormir a casa... Precisava de um miminho. Vou lhe ligar. Assim sempre ouço a voz que me aconchega.

Sintomas - 9 semanas

As tonturas voltaram, principalmente ao meio da manhã, e deixam-me a levitar, sem conseguir concentrar-me em nada.
Só consigo controlar os enjoos com o Nausefe, tomando 2 ao deitar, que me dão uma pedrada de sono.
A fome aperta várias vezes ao longo do dia, exigindo ingestão imediata de alimentos. Vou petiscando a toda a hora.
A barriga mantém o mesmo tamanho, mais pequena de manhã, mas muito maior à noite.
Tenho tido desejo de chocolates nos últimos dias, que tenho que comer...
O cansaço tem sido muito, com sono, dores nas costas e exaustão a partir da tarde. Tem sido difícil fazer um dia de trabalho completo e, quando me irrito ou fico nervosa, fico mesmo sem força.
Quando falo muito fico sem ar, como se tivesse acabado de correr.

Estes são os sintomas actuais, diferentes dos que tive inicialmente. Hoje completo as 9 semaninhas e respiro um bocadinho mais de alívio. Cada dia que passa o meu bebé está mais forte e agarradinho a mim.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Menino ou Menina?#2

Já fui pesquisar e também dá menino (o menino chorar ao meu colo)! Estou a ver que vem aí um Afonso a caminho...

Menino ou Menina?

Ontem fui conhecer o Tomás, o filho de uma amiga minha que tem um mês. Assim que lhe peguei ele chorou, o meu marido pegou e ele calou-se. A minha amiga, que passou por o que eu estou a passar há bem pouco tempo disse-me logo que isto era sinal de que estava grávida de menino ou menina, ele não se lembra como é, mas que a sabedoria popular atribui este choro à gravidez. Ela tem outra amiga grávida, que tembém ainda não sabe o que vai ter, mas que faz o bebé calar sempre que vai para o colo dela. Fizemos outros testes caseiros, e deu sempre menino. A tabela chinesa dá menina... Bem, vamos ter que esperar para saber se vem mais um menino para as três irmãs (as outras duas fizeram meninos) ou se vem a primeira menina para os dois irmãos (marido e cunhado). Eu fico feliz de qualquer forma.

Ah, e o Tomás é um fofo e ensinou-nos um novo truque para acalmar bebés. Meninas mamãs, a bola de fitness é remédio santo. Sentam-se em cima dela com o bebé ao colo e saltam. O bebé acalma-se, adormece e nós fazemos exercício físico. Bom, não? E também ajuda a encaixar o bebé no final da gravidez. A minha vai ter muito uso, estou a ver...

Foto prometida do nosso bebé

Aqui está a foto do meu amorzinho à 8 semanas e 5 dias. Diz o doutor que está com o tamanho certo (2 cm) para o tempo, bem implantado, sem sinais de descolamento e com um "ar" normal (o espectável nestas coisas). Ouvimos o coração a fazer TUM TUM TUM, ficámos com um sorriso de orelha a orelha, sentimo-nos orgulhosos do nosso bebé e saímos de lá com o nosso coração mais tranquilo e feliz.


domingo, 23 de outubro de 2011

Because it's Sunday...

Estou sozinha em casa, farta da televisão e enjoada.

Amanhã vou ver o meu bebé logo de manhãzinha, com o meu marido, claro. Depois mostro-vos a foto do meu amorzinho. É uma promessa!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Pesadelos

Esta noite tive o pior pesadelo de sempre. Sonhei que o meu marido tinha sido assassinado, à facada, perto de mim e que eu não consegui impedir. Fui dar com ele morto, cheio de sangue e já frio. Sofri com tal intensidade a dormir que acordei toda a tremer. Procurei-o na cama e, felizmente, lá estava ele, quentinho e a dormir. Agarrei-o com força e ele acordou. Quis saber o que se passava, porque estava tão assustada. Contei-lhe o que tinha acabado de viver, estava tão aflita que chorei desalmadamente. Chorei como se chora quando se sente o que é perder alguém. Chorei por me imaginar a tocar no amor da minha vida e a senti-lo frio. Foi horrível, custei a ficar calma. Ele abraçou-me muito e repetiu vezes sem conta "já passou". Passou, mas tenho um medo irracional que um dia possa não passar. Quando penso como seria um dia perde-lo fico sem força, sem capacidade de reacção, sem vida.

Não suporto

Incompetência!!! Tira-me do sério. Detesto arranjinhos para chegar ao resultado. Ou se faz bem ou não se faz, ou pelo menos avisa-se que não se consegue fazer bem.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

8 Semanas

Completamos hoje as 8 semaninhas (pelas contas). Estamos grandes, a barriga estica todos os dias, já tenho muitos pelinhos na barriga (a sério!) e já recuperei o kilo que tinha perdido. Os enjoos não têm importunado desde que tomo o Nausefe. Segunda-feira vamos à consulta e já vamos ver o nosso bebé como deve ser. Tomara já!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Mudança de decoração

O meu quarto está em tons de rosa e preto, com a mobilia toda em Wenge torna-se demasiado escuro para a fase em que eu estou agora. Sinto falta de luz e claridade. Por isso mesmo, vou trocar a capa de edredon de preto para branco. Já a tive assim e faz toda a diferença. Como sou cliente fiel IKEA, é mesmo lá que compro tudo ou quase tudo de decoração, não me custa muito dinheiro mudar com regularidade. O cortinado também é preto (tenho as paredes todas brancas), daqueles meio transparentes, e também tem que ir à vida. Daqui a uns meses terei que mudar de casa para receber o baby, mas a decoração muda-se comigo. Com uns 30 euros mudo a base de preto para branco, mantendo o rosa (a ver vamos) e fico com um quarto novo.
É nestas coisinhas que me sinto mesmo espertalhona...

Será que é desta?

Que o Outono chega de vez? Eu quero. Gosto muito de Sol, até sinto muito a falta dele durante o Inverno, mas já não há quem aguente tanto calor... Dizem que chega amanhã, finalmente. Quase que aposto que virá carregado de chuva, só para nos chatear.
Que saudades que eu tenho do tempo em que o Outono e a Primavera eram as minhas estações do ano preferidas. Agora já não se dá por elas. Gosto de usar roupa que dá aconchego sem andar a bater o dente ou a transpirar que nem um cavalo. Gosto do ventinho fresco a bater na cara sem sentir que a pele repuxa do ar gélido ou que queima do sol abrazador. Ai, bons tempos os de antigamente...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Diploma

Hoje, finalmente, levantei o meu diploma. Depois de 3 anos guardado numa qualquer gaveta ou estante da Universidade, depois de mudar de instalações, foi resgatado. Fazia-me falta? Nenhuma. Mas paguei-o. Agora é arranjar um cantinho para o expor, ou, simplesmente, guardá-lo noutra gaveta, desta feita, na minha casa (é o mais certo, mesmo certinho...).

(Glup)

Estava eu no provador de uma loja e ouço uma mãe a lamentar-se, com as duas filhas a darem apoio. De início não compreendi o que se passava. Depois percebi que as filhas estavam a ajudar a mãe a comprar roupa preta para o funeral do pai, que acabara de morrer. Fiquei com um nó na garganta. Senti a força daquelas mulheres a encarar a pior situação da vida com serenidade e união.

Há muitas coisas que me emocionam, especialmente nesta fase da minha vida, mas o amor continua a ser a principal.

Nausefe, nausefe...

É verdade que me tiras os enjoos quando te tomo em dose dupla ao deitar. Tens sido um bom amigo. Mas podes aliviar a pedrada pela manhã? Por favor! É que assim não ouço o despertador e ando o dia todo a bater com a cabeça de sono. Obrigada e até logo à noite.

domingo, 16 de outubro de 2011

O drama da roupa continua...

A roupa normal já aperta muito, a roupa de grávida baila...
Não consigo vestir calças de ganga, as leggings apertam-me na barriga, com calças de cintura subida pareço gorda e não grávida, os vestidos cintados empinam.
As calças que tenho de grávida continuam demasiado largas na barriga e nas ancas, embora sejam o número habitual.

Ai, que eu já não sei o que hei-de vestir. Sinto-me um verdadeiro trambolho em vez de linda como me deveria sentir. Não vejo a hora de puder assumir a minha barriga com roupa justa. Entretanto, vou ver se compro uns vestidinhos largos e confortáveis.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Because it's Friday...

Espera-me um fim-de-semana para descansar e namorar, trabalhar um bocadinho e ser mimada.
Hoje comprei dois bodys básicos para o meu bebé e conto namorá-los um bocadinho. O marido olha para as costas dos mesmos e derrete-se todo... São tão fofinhos!


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Ai, que estou tão....

Estou enjooada, agoniada, desconfortável cheia de sono, tonta e tenho trabalho até ao telhado... Não sei se aguento um dia inteiro de trabalho. O Nausefe dá-me muito sono e nem por isso me tira os enjoos. Nada me tira as tonturas, nem as dores de cabeça que vão surgindo ao longo do dia. O que me "alegra" é saber que há grávidas piores que eu...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Notícias

Fui nervosa, saí feliz...

Para começar, assim que disse que estou grávida fiquei logo isenta da taxa moderadora e fui logo chamada para a triagem. Muito positivo. Fui encaminhada directamente para o piso de obstetrícia. Depois de ouvir uma cigana a gritar enquanto tinha o bebé, de ver a mãe dela a rezar muito aflita a achar que 50 minutos de trabalho de parto era muito e de a ouvir perguntar aos médicos "é moço ou moça?", fui chamada.
O marido não pode entrar porque era urgência. Expliquei o que se passava ao Obstetra e ele disse logo que não devia ser nada. Observou-me as entranhas, viu-me a amostra de urina e tudo ok. Apenas com muito corrimento, que é normal em mim desde sempre, por isso normal.
Passou, então, à endovaginal. Pedi para chamar o marido mas ele disse que não podia mesmo : (. Vi o meu bebé, vi o coraçãozinho a bater (tão querido...), mas não deu para ouvir. O médico diz que sou capaz de ter um bocadinho menos de tempo de gestação que o inicialmente indicado, mas o meu bebé está bem e a crescer. Diz que as dores são normais, varia de mulher para mulher e deu-me um conselho sábio. Disse-me que nestas primeiras semanas tenho que descansar ao máximo, como todas as grávidas, porque qualquer descolamento, sangramento ou que que for que possa acontecer têm sempre o mesmo remédio: Repouso. Por isso, fazê-lo como prevenção. A partir do segundo trimestre o perigo já é outro e o repouso é menos importante. O médico sorrio muito, foi um querido e deixou-me com uma lágrima a correr...