sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Padrinhos da Matilde

Para mim, que sou uma madrinha orgulhosa, os padrinhos são os segundos pais. Nem mais, nem menos. Para isso, têm que conseguir olhar para o afilhado como para um filho. É claro que é diferente, claro que sim, mas esta é a única forma de encarar o papel tão importante que nos é confiado. A minha responsabilidade é para com o meu afilhado, a responsabilidade de criar um elo de ligação especial, diferente do dos pais, é certo, mas mais próximo desse que qualquer outro. Encaro o meu papel de madrinha com muita seriedade e fico muito feliz por saber que o meu afilhado tem uma ligação única com os padrinhos. O meu marido é o melhor padrinho do mundo e eu a melhor madrinha. O que eu quero para o meu bebé? Os melhores do mundo! Nada menos que isso.

Tomámos a decisão final e convidámos os padrinhos esta semana. São a minha irmã do meio e o marido dela, os pais do nosso afilhado.
A madrinha foi de caras. É a minha melhor amiga, tem uma relação óptima e de irmãos com o meu marido e sabe bem o que é ser mãe.
O padrinho foi um caso bicudo. O meu marido tem um irmão (que vai ser pai também) e por quem sentia obrigação de convidar, na minha opinião, pelas razões erradas. Ele não sabe o que é ser pai, não consegue (ainda) pensar nos outros antes de pensar em si e não percebe bem o que significa ser padrinho. O marido da minha irmã é pai, sabe sê-lo e sei que vai defender a afilhada como defende o filho.
Outra coisa que considerámos de maior importância foi o facto de serem um casal. Por experiência própria, é mais fácil ser-se padrinho ou madrinha juntos. É como os pais. Pode se ser bom pai sozinho, mas em casal é mais fácil.

Eles ficaram radiantes ao perceberem que o que nós lhes queríamos pedir, muito chato, que eles estavam à vontade para recusar (nós com cara de aflitos...), era para terem a honra de ser os padrinhos na nossa menina.


1 comentário:

achibi.design disse...

Eu também não tenho a menor dúvida de quem será a madrinha do meu bebé! A minha irmã, claro está! Como o meu namorado tem um irmão, daremos-lhe o direito de ser o padrinho. Mas sei que caso ele não queira ou por outro motivo qualquer, há uma pessoa que está desejosa de ser o padrinho do meu bebé! E eu até gostava, pois ficava em família, em casal e porque gosto muito dele! E também ele tem mais noção do que é uma família e cuidar!