quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O lado positivo

Como sabem, passei por 10 meses de desilusões até conseguir o meu tão desejado positivo, até ter o meu bebé a crescer aqui dentro de mim. Foram meses difíceis, de muito sofrimento, muitas lágrimas, muita confusão, muita atenção aos pormenores.
Hoje completo 15 semanas (IUPI!!!) e vejo as coisas de outra forma. Durante o tempo em que engravidar parecia mais longe que ganhar o Euromilhões, passei por uma experiência muito enriquecedora. Conheci-me como nunca, física e psicologicamente. Passei a tomar atenção a todos os sinais do meu corpo, a todos os sintomas, a todas as dores e desconfortos. Aprendi a ouvir o meu corpo. A dada altura percebi que conhecia mucos (diferentes ao longo do ciclo), dores da ovulação, alterações corporais, tinha um calendário na cabeça, que me ia segredando em que dia do ciclo estava, tinha o corpo a gritar-me que estava no período fértil. Comprei testes de ovulação e utilizei-os apenas para confirmar que estava certa. E estava. Comecei a medir a temperatura basal com um termómetro, mas percebi que não precisava dele para saber como estava a minha temperatura, sentia. Senti o meu bebé à 13 semanas e às 14, muito cedo para uma primeira gravidez, e atribuo isso ao conhecimento e atenção que tenho com o meu corpo.
Conheci, também, os meus limites, até onde consigo ir por um sonho, até onde aguento sem me partir (e parti-me várias vezes), quantas vezes me consigo recompor, como reajo com a dor, com a desilusão, com a incerteza. Nunca duvidei que conseguia, até porque tenho agora 26 anos, mas sofri por não saber quando seria o grande momento. Sofri por acreditar que era cada novo ciclo, por ter esperança. Se soubesse desde o início que iria demorar tanto tempo, estaria relaxada, à espera desse ciclo especial. Mas não, desesperei por ele. Dou tanto valor a esta gravidez e estou tão feliz por me estar e ser dada a benção da maternidade...

Nunca desitam. Uma mãe de coração tem que ser mãe de verdade, tem que entregar todo o amor a um filho. Eu fui e sou mãe de coração e estou pertinho de ser mãe de verdade. E estou feliz!

2 comentários:

Susana disse...

Eu para engravidar não demorei muito tempo mas também estudei muito e fiz o controlo da temperatura com o termómetro e através disso e do muco conseguia saber quando tinha ovulado até conseguir engravidar... O mais engraçado é que eu sabia que podia estar grávida no meu 2º ciclo (e ultimo) porque estava com temperatura alta durante muitos dias e porque sabia que tinhamos namorado nos dias mais propícios... e assim foi !! ;o)

achibi.design disse...

Eu não precisei nem de temperaturas, nem testes... foi à 1ª! Mas sem contar! Agora estou feliz e só espero que o meu bebe venha bem!