segunda-feira, 24 de março de 2014

Procura-se casa

Vivo num T3 alugado, em que a única (mas grande) desvantagem é ser um 3º andar sem elevador. Se me deixa com umas pernas mais firmes (not), também me deixa de língua de fora quando chego lá acima. Com um filho pequeno já era difícil, com uma barriga e depois com 2 filhos pequenos vai ser uma comédia (dramática).
 
Já ando à procura de casa desde que decidimos ter outro filho, mas não encontramos nenhuma casa melhor que a que estamos pelo mesmo preço, nem há casas para vender na minha cidade a um preço acessível. Há dezenas de casas novas fechadas, mas pedem uma imensidão de dinheiro por elas.
 
Agora temos outro motivo. Recebemos uma ordem de penhora de créditos sobre a renda, uma vez que o senhorio deve 1500€ ao condomínio.
Ora, não há muito que saber, pagamos ao agente de execução em vez de pagarmos ao senhorio. Isto seria fácil, não fosse o senhorio recusar que deve aquele montante e querer impedir-nos de pagar o que deve.
 
Resultado: estamos no meio da barricada e vamos ser atingidos de qualquer forma. Por um lado temos mesmo que pagar ao agente de execução, sob pena de faltarmos perante a lei e termos que pagar 2 vezes, por outro lado temos um senhorio que nos vai fazer a vida negra caso não receba a renda todos os meses.
 
Vamos, então, intensificar a procura por casas. Não será fácil, mas não vejo alternativa.

2 comentários:

M♥M Susana disse...

Boa sorte na procura de casa... uma pessoa quer fazer tudo certinho e depois vem um senhorio desses! Já não basta ser ele o culpado dessa confusão... Pois arranjar casa a preço justo não é fácil, às vezes parece que querem ficar com as casas 'encalhadas'... Mas olha que elevadores dá cá uma despesa... mas 3º andar sem eles é dose !

Ana disse...

É de uma pessoa ficar de cabelos em pé. Com spreads de 4% e mais, é impossível alguém com ordenados baixos/normais comprar casa.
Ando a ver se encontro uma casa com acordo no banco para ter 100% financiamento e spread mais baixo.

Imagina com uma criança de quase 12kg ao colo... Agora já raramente o levo ao colo, mas vou sempre carregada. É muito chato.