terça-feira, 5 de novembro de 2013

Hoje sonhei com o Manel

Sou uma pessoa de coração, que sofre com todo o coração e é feliz da mesma forma.
Quando quero uma coisa, instala-se em mim o desejo, vivo para ele, sonho com ele.

Hoje sonhei com o Manel.
O Manel é o meu segundo filho. Ou a Matilde. 
Mas no sonho era o Manel. Pequenino, bebé, irmão do Afonso. Estávamos no trabalho, tal como estive com o Afonso. Era confuso e eu não sabia muito bem o que fazia este bebé na minha fábrica. Depois percebi. Era o meu segundo filho. Assim, nascido, a crescer e a andar coladinho a mim como o Afonso andou.

Uma das condições que eu e o marido falámos desde que pensámos mais a sério no segundo filho foi o direito à licença de maternidade. Não tanto por mim, que até acho que deve ser um bocadinho chato passar 4 meses enviada em casa, sozinha com o bebé, mas pelo bebé. O Afonso nasceu em Maio e veio para o trabalho comigo em Julho. Ainda não tinha 2 meses. Não tínhamos alternativa e foi o mal menor.
Estava bom tempo, dias de Verão, roupa fresca, sol lá fora. Trabalhei muitas horas de pé, a fazer trabalho de fábrica, com ele no sling. As minhas costas queixam-se disso mesmo. A espreguiçadeira era a minha maior aliada e ele era pequeno e tinha paciência. Foi sempre calmo e pouco chorão. Estava comigo a 100%. Mamava de 2 em 2 horas, tinha o colinho que precisava e eu trabalhava o que podia. Mas eu tinha que estar aqui. Estávamos em grande mudança e era fundamental a minha presença.

Agora já não é. Sei que sou um dos motores desta empresa, mas o marido é outro. Já temos o trabalho afinado e vou orientar à distância. 
Contrataremos outra pessoa para me substituir (em algumas tarefas) e esperamos que os 4 meses passem como passam agora, a correr. (Já passou o Verão?)


Tenho vontade de começar a tentar engravidar JÁ!!!

2 comentários:

M♥M disse...

E porque não já ;o) Pode não ser logo à primeira tentativa... Eu também gostava mas o meu marido não quer para já :o( Quanto a ti, se puderes estar mais presentes para os teus filhos melhor ainda, eu já estou à 2 anos em casa desde que o meu G nasceu.
Beijinho

Ana disse...

Presente estarei sempre, nem que seja só um bocadinho à noite. :D
Quero é dar mais conforto do que o que pude dar ao Afonso e acho que agora já vai ser diferente.

Não sei como seria estar com tu, em casa e ser mãe a tempo inteiro, mas acho que stressava muito... Admiro que o faz e que tem paciência para entreter as crianças.
Bjinhos*